Emagrecimento e Musculação

Anna Cláudia Arruda
Especialista em Musculação e Personal Trainer, Fisiologia do Exercício e Treinamento Desportivo.

Emagrecimento e Musculação

A musculação é uma forma de exercício contra resistência que treina o desenvolvimento dos músculos esqueléticos, utilizando a força da gravidade e a resistência gerada por equipamentos específicos que fazem com que o músculo gere força oposta por meio de contrações musculares.

Muitas pessoas preocupadas em emagrecer acreditam que a musculação atrapalha o processo, tendo em vista que há uma perda de porcentagem de gordura, mas que também há um aumento de massa magra, o que pode não representar perda de peso na balança. Contudo, é possível emagrecer ganhando peso, engordar perdendo peso ou perder peso sem emagrecer. Isso porque emagrecer é eliminar os excessos de gordura corporal. O peso corporal, que é o parâmetro entre algo leve ou pesado e não entre algo gordo ou magro, não pode ser um objetivo.

Foi comprovado cientificamente (KATCH, MCARDLE) que a musculação acelera o metabolismo, favorecendo a queima de gordura pelo organismo, embora ela não seja fonte de energia primária. Em princípio, no início de um exercício o corpo usa mais carboidrato (reserva que se aloja nos músculos, na corrente sanguínea, no fígado etc) do que gordura como fonte de energia. Depois de um determinado tempo em atividade, a gordura começa a ser utilizada como substrato energético.

Com o metabolismo mais acelerado, a queima de gordura é otimizada após a atividade. Dessa maneira, o corpo queima a energia que é gasta mais a energia que gasta para se recuperar da atividade. Assim sendo, conclui-se que para que o treino de musculação seja eficiente para o emagrecimento, é necessário um fator determinante: a INTENSIDADE. Quanto mais intenso for o exercício, mais o corpo vai precisar de energia e, consequentemente, mais oxigênio será utilizado para reparar o dano causado ao organismo.

Com o aumento da massa muscular ou da massa magra, a taxa metabólica de repouso aumenta. Nesse sentido, se antes o organismo gastava 2.000kcal por dia para realizar atividades cotidianas como tomar banho, andar e dormir, agora, com o aumento da massa muscular, a quantidade de calorias gastas é maior. Isso porque as células musculares tem uma quantidade muito superior de mitocôndrias, que exigem um grande suprimento de energia. Vale ressaltar que as mitocôndrias são organelas celulares responsáveis por gerar energia para as células. Já as células musculares são voltadas para o movimento, por isso há um grande gasto de energia, ou seja, quanto mais mitocôndrias mais dispêndio energético.

Após o término da musculação, o corpo continua gastando energia por um período relativamente longo graças aos músculos, que passam por um processo de catabolismo, ou seja, de degeneração, precisando se recompor. Para que isso aconteça, o organismo precisa entrar em um estado de anabolismo, tornando-o ainda mais forte e resistente. Esse processo de recuperação do exercício muscular exige muitas calorias.

Comprovadamente, a musculação é um excelente meio de reduzir o porcentual de gordura, além de provocar o fortalecimento da musculatura, diminuindo o risco de lesões. Ela também é responsável por uma melhora da autoestima, da funcionalidade, da disposição e da imagem corporal, fazendo com que os praticantes se estimulem e continuem a se exercitar.

A reeducação alimentar associada a um treino bem feito e orientado, sem dúvida alguma, irá gerar benefícios vinculados à estética e à qualidade de vida. Afinal, o corpo não foi feito para ficar parado. Então, mexa-se!



Facebook Cemil

Faça uma avaliação desta dica

Comentários

Voltar ao topo

  • Curta nossa página no Facebook
  • Divulgue as novidades.

    Compartilhe com os amigos e a família. :)

  • Compartilhe esta página com seu amigos
  • Veja o que está acontecendo agora nas redes Cemil

Aviso importante: o Ministério da Saúde informa que o aleitamento materno evita infecções e alergias e é recomendado até os 2 (dois) anos de idade ou mais.