Exercício Físico e terceira idade

Anna Cláudia Arruda
Especialista em Musculação e Personal Trainer, Fisiologia do Exercício e Treinamento Desportivo.

Exercício Físico e terceira idade

O processo de envelhecimento é necessário e natural em nossas vidas. A gerontologia (ciência que estuda o processo de envelhecimento do homem) aborda áreas além das doenças relacionadas à idade e à sua prevenção, a fim de reconhecer que o envelhecimento bem sucedido exige a manutenção de uma função fisiológica e de uma aptidão física aprimorada. Segundo os pesquisadores Mcardle e Katch, grande parte da deterioração fisiológica, considerada previamente de “envelhecimento normal”, surgiu com o estilo de vida e com as influências ambientais sujeitas a uma modificação significativa com dieta e com exercícios apropriados.

Junto com o aumento da expectativa de vida veio o crescimento da população, que sentiu a necessidade de seguir um programa de exercícios físicos adequados como medida preventiva para a manutenção e para a otimização da saúde. O envelhecimento fisiológico não acompanha, necessariamente, a idade cronológica, pois isso varia de pessoa para pessoa, levando em conta muitos fatores, mas, principalmente, o estilo de vida de cada um. Existem pessoas de 60 anos com condicionamento físico e com qualidade de vida melhor do que algumas pessoas de 30 anos.

O sedentarismo é, certamente, um poderoso inimigo para quem deseja uma vida saudável. Com o passar dos anos, vamos perdendo massa muscular, flexibilidade, força, equilíbrio e massa óssea. Em contrapartida, a nossa gordura corporal aumenta. Há uma série de modificações nos diferentes sistemas do organismo que sofrem efeitos deletérios, além do declínio das capacidades funcionais e das alterações no funcionamento fisiológico. Nesse sentido, o exercício físico é um grande aliado, podendo prevenir e retardar o envelhecimento.

A consequência mais importante desse processo é a diminuição da força muscular em decorrência da perda de massa muscular ou sarcopenia. A força muscular declina em, aproximadamente, 15% por década. Entre os 60 e 70 anos, o declínio é ainda mais acentuado. A força é o componente mais importante da aptidão física do idoso, pois à medida que ele vai envelhecendo vai perdendo a capacidade de exercer funções básicas do cotidiano, como levantar-se da cadeira, entrar e sair do carro, subir escadas, entre outros. O exercício físico se torna uma atividade indispensável na terceira idade, tendo em vista que:

- retarda o processo de envelhecimento;
- proporciona um convívio interativo social melhor;
- diminui as chances de queda por falta de equilíbrio e de força;
- aumenta o nível de atividade física espontânea;
- aumenta a densidade óssea;
- controla doenças, como artrose, diabetes e do tipo cardíaca;
- diminui a depressão.

Os exercícios mais indicados para a terceira idade são os aeróbicos de baixo impacto (caminhada, bicicleta, hidroginástica), e os de peso, como a musculação, a yoga, o pilates e os alongamentos, que também promovem benefícios de alta relevância. Vale ressaltar que é importante que o idoso escolha o exercício que tem prazer em realizar, não correndo, assim, o risco de abandonar a atividade, mantendo uma regularidade.
Existem cada vez mais evidências científicas apontando o efeito benéfico de um estilo de vida ativo na manutenção da capacidade funcional e da autonomia física durante o processo de envelhecimento. Por isso, para um futuro cheio de alegria, devemos escolher uma atividade e sair da zona de conforto. Fazendo exercícios regularmente, envelheceremos com muito mais qualidade de vida.


Facebook Cemil

Faça uma avaliação desta dica

Comentários

Voltar ao topo

  • Curta nossa página no Facebook
  • Divulgue as novidades.

    Compartilhe com os amigos e a família. :)

  • Compartilhe esta página com seu amigos
  • Veja o que está acontecendo agora nas redes Cemil

Aviso importante: o Ministério da Saúde informa que o aleitamento materno evita infecções e alergias e é recomendado até os 2 (dois) anos de idade ou mais.